Ditadura democrática

democracia_mafalda

Os partidos políticos afirmam-se como actores principais da democracia, não é assim?!

Arrogam-se também como os interlocutores por excelência do povo, certo?!

A democracia é um regime em que se valoriza a liberdade e a pluralidade de opinião, verdade?!

Notícias frescas e recentes a que se deve dar destaque para entender estas verdades absolutas:

Jornal Público, 30 de Outubro: PSD propõe expulsão de 396 militantes por terem apoiado listas adversárias (clique aqui).

O PSD prepara-se para expulsar 396 militantes que estiveram envolvidos em candidaturas adversárias às do partido nas recentes eleições autárquicas. Ao que o PÚBLICO apurou junto de dirigentes nacionais do PSD, estes processos, que resultam de queixas, aguardam já decisão do conselho de jurisdição nacional. Mas outras queixas estão a caminho e no total podem abranger mais de cinco centenas de militantes.

Jornal Público, 29 de Outubro: CDS-PP expulsa militantes de Sintra que concorreram contra o partido (clique aqui)

O Conselho Nacional de Jurisdição do CDS-PP enviou cartas de expulsão por violação dos estatutos do partido a militantes de Sintra que nas eleições autárquicas integraram listas do movimento independente Sintrenses com Marco Almeida.

Jornal Público, 25 de Outubro: Deputado do CDS-PP suspenso cinco meses por ter votado contra OE2013 (clique aqui).

O Conselho Nacional de Jurisdição do CDS-PP aplicou nesta sexta-feira ao deputado eleito pela Madeira Rui Barreto a pena de cinco meses de suspensão do partido por ter votado contra o Orçamento do Estado para 2013.

(…)

Segundo o acórdão, “dúvidas não subsistem de que o militante infringiu a disciplina partidária de forma consciente e deliberada, violando as normas dos estatutos a que estava obrigado, numa matéria de especial relevância política, com graves consequências para a imagem do partido”.

Jornal i, 10 de Outubro: Partidos recusam candidaturas independentes ao parlamento (clique aqui). Não me levem a mal mas vou sugerir a inclusão da bolinha vermelha para advertir os leitores do teor do discurso de António Filipe, deputado do PCP e vice-presidente da Assembleia da República, a propósito da petição que solicitava o fim do monopólio legislativo dos partidos políticos (!!!).

E isso não é aceitável, argumenta António Filipe: “Era abrir a porta a um discurso perigoso, que esteve em voga nos anos 20/30 [do século xx], de contestação generalizada aos partidos, com consequências trágicas. É um discurso contra a própria democracia. Era o discurso de Salazar, que dizia que a União Nacional não era um partido.” “Por detrás disso está uma mistificação”, sublinha, antes de acrescentar: “Ainda ninguém me explicou qual é a superioridade moral de um cidadão se apresentar como independente face a outro cidadão que se apresente como candidato de um partido.”*

Jornal i, 2 de Outubro: Autárquicas. 54,6% dos portugueses recusaram votar em partidos (clique aqui).

São números impressionantes, que revelam o crescente afastamento dos portugueses dos partidos políticos: de 5 187 161 de portugueses inscritos nos cadernos eleitorais, 54,6%, rejeitaram votar nos partidos políticos, parlamentares ou não, nas eleições autárquicas de domingo. A abstenção foi a opção para 4 502 230 portugueses, 47,41%, o voto em branco atraiu 193 284 cidadãos, 3,87%, o nulo teve 147 081 votos, 2,95%, e as cerca de 80 listas de independentes só para as câmaras municipais tiveram o voto de 344 566 eleitores, 6,9%. Tudo somado, foram 5 187 161 os portugueses que recusaram votar nos partidos políticos.

Resumindo:

A ditadura é um regime político em que dissonar da cúpula do poder tem consequências.

Um regime autocrático não aceita muito bem as opiniões divergentes e como tal tem um único discurso e um único modus operandi fechado a contributos alheios ao partido ou organização no poder. Se o país se encontrar em má situação política, económica, social, administrativa, etc., só há uma facção que tem poder de decidir ou emitir opiniões independentemente de serem válidas ou as melhores para o país e para as suas gentes.

Por fim, a ditadura é o regime que mais descontentamento gera entre as hostes populares pelas razões acima apontadas. Acaba por ser mantido pela força uma vez que não goza de legitimidade popular…

Em face de como se comportam os actores principais DESTA ditadura democracia, estou confuso…

* Crê-se um ser intelectualmente superior por fazer parte duma falange partidária…

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s