Racionalidade vs Flexibilidade

De um lado na liderança: a Alemanha cuja cultura está assente numa racionalidade quase maquinal. Planeamento é sagrado. Contas são contas e balanços e orçamentos são para ser executados à risca e sem desvios.

Do outro, na cauda do pelotão: Grécia, Chipre, Portugal, Irlanda, Espanha, Itália e quem sabe mais alguém. Planeamento é quando um entidade externa assim o exige. Contas são meramente indicativas e balanços e orçamentos têm sempre margem de manobra.

Dilema: como conseguir fazer com que estes dois blocos se encaixem?

A flexibilidade que mais uma vez os países pródigos no seu uso pedem à Alemanha – para honrarem os seus compromissos e assim garantirem a viabilidade da zona euro – é a mesma “qualidade” que os Germânicos não consideram no seu cardápio.

Nem os “maleáveis” gozam de legitimidade para exigirem brandura nem os “rígidos” dispõem da fórmula mágica para transformar os moles em compactos!

Será que vale a pena?!

One thought on “Racionalidade vs Flexibilidade

  1. Pingback: Bluff ou falta de bom senso?! « acorda es(torpor)ado!

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s